«

»

Assembleia Geral do dia 3 de fevereiro – a Confraria Palestrina expõe seu posicionamento quanto as reformas do Estatuto do Palmeiras

Neste próximo sábado (03/02) haverá a votação das alterações estatutárias, pelos sócios com direito voto, das 10h00min às 19h00min. A Confraria Palestrina, com o intuito de manter seu posicionamento transparente, vem através desta, evidenciar sua opinião em relação aos tópicos que serão abordados na votação, e propomos a aprovação integral das propostas apresentadas.

Esclarecemos que, a despeito da importância do processo em curso e da relevância de algumas das deliberações oferecidas aos sócios para confirmação, itens fundamentais para a modernização do clube, que previam a diminuição do número de conselheiros vitalícios e de diretorias do clube, participação política do sócio-torcedor, obrigação de implantar a transparência e responsividade na administração do clube etc. foram deliberadamente deixados de fora desta rodada de alterações estatutárias. A Confraria Palestrina não concordou com esta medida, e reafirma seu o compromisso de continuar a lutar para que estes e outros pontos essenciais sejam alterados em nosso Estatuto Social, de modo a tornar nosso Palmeiras ainda mais vencedor, não só no presente, mas também no futuro. Vamos aos itens:

1 – Exclusão da vitaliciedade automática para os Vice-Presidentes do C.D. e do C.O.F.:

Em linha com uma das principais bandeiras da Confraria Palestrina, entendemos que a inclusão de vitalícios no Conselho Deliberativo é um erro e desserviço à S.E.Palmeiras. Desta forma, a exclusão da referida vitaliciedade automática é fundamental e acertada.

2 – Aumento do número de reuniões ordinárias do C.D. e alteração das datas:

Entendemos que a ampliação das reuniões, bem como a apresentação de um calendário adequado, reforça nosso conceito de participação efetiva nos assuntos pertinentes, pois, permitirá ampliar as discussões sobre os temas necessários a boa governança da SEP em todos os setores (Clube Social e de Campo, Departamento de Futebol e Arena). Ainda que tal medida não baste para que se construa um C.D. mais proativo e produtor de pautas positivas para o clube (o que somente acontecerá se forem criadas comissões permanentes para acompanhamento e debate dos temas destacados), este é um bom primeiro passo.

3 – Alteração da data para análise e votação do balanço financeiro, da demonstração da receita e despesa do exercício anterior:

Vemos de forma positiva esta mudança, uma vez que a alteração da data prevê que a aprovação se dará em um mês propício para ter em mãos o parecer de auditoria e, por consequência, as notas explicativas totalmente consolidadas. Com isso, serão fornecidos mais subsídios para que cada conselheiro possa ter tempo hábil para análise completa dos números apresentados.

4 – Alteração da data de eleição dos Membros do C.O.F. para março:

Alteração extremamente positiva, pois, entendemos que corrige um problema que ocorre atualmente. Se aprovada a proposta, os novos membros do C.O.F. serão eleitos após a eleição e posse dos novos membros do Conselho Deliberativo (C.D.).

5 – Exigência de Votação por urna eletrônica para todos os processos eletivos, exceto presidência e vice-presidência do C.O.F.:

Outro item muito positivo, também vai ao encontro da opinião da Confraria Palestrina, pois, além da agilidade no processo, aumenta a segurança, transparência e governança dos processos.

6 – Cômputo cumulativo de quaisquer valores para aferição percentual de empréstimos sem aval do C.D. e C.O.F.:

Fundamental para que haja responsabilidade sobre as finanças da S.E.Palmeiras. O processo atual é analisado por evento e isso pode acarretar descontrole e falta de análise. Com o novo texto, o montante de empréstimo tomado será analisado no montante total do empréstimo pretendido pela Administração. Por tal razão, a Confraria Palestrina entende item como importante e positivo.

7 – Adequação de termos técnicos aos conceitos da contabilidade:

Esse item vem ao encontro das nomenclaturas contábeis normalmente utilizadas por todas as empresas e seguem critérios contábeis amplamente utilizados, ou seja, com esta disposição a S.E.Palmeiras se adequa as práticas e regras do mercado. A Confraria Palestrina entende que este item avança ainda mais na gestão profissional, que defendemos amplamente.

8 – Exigência de auditoria Externa:

Apesar de a S.E.Palmeiras não ser obrigada a realizar auditorias , esta exigência evidencia boas práticas e contribui ainda mais para uma gestão profissional, transparente e com governança. Ao tornar-se obrigatória a auditoria externa por empresa especializada, a contratada terá a missão de avaliar os números apresentados nos balanços, aferindo se estão de acordo com os princípios legais e também haverá a segurança de que os números estejam registrados de forma adequada, e de acordo com os princípios e normas contábeis e fiscais.

9 – Inclusão das ilustrações dos símbolos do Palmeiras:

Item de muita importância para identidade visual do clube, afim de não se cometer abusos quando do registro e divulgação da poderosa e valorizada marca da S.E.Palmeiras.

10 – Redução do número de assinaturas para registrar chapas e redução do número mínimo de componentes para inscrição de cada chapa:

Item fundamental para dar sustentação ao avanço democrático no clube. Atualmente para se criar uma chapa e concorrer ao Conselho Deliberativo, é necessário ter 300 assinaturas de sócios e mais 91 candidatos, ou seja, muitos que assinavam a chapa se quer eram candidatos de verdade, apenas assinavam para ser possível o registro das chapas.

A nova proposta altera o Estatuto Social, permitindo que os candidatos ao conselho passem a ser de no mínimo 60 nomes para o registro da chapa, facilitando assim o processo e oxigenação da eleições ao C.D.

Link permanente para este artigo: http://confrariapalestrina.com.br/assembleia-geral-do-dia-3-de-fevereiro-a-confraria-palestrina-expoe-seu-posicionamento-quanto-as-reformas-do-estatuto-do-palmeiras/